O que você pode ou não publicar em um site médico

O que você pode ou não publicar em um site médico

maio 26, 2020 0 Por Editor

Os consumidores, de forma geral, estão cada vez mais exigentes e tem acesso a uma ilimitada série de opções no mercado. Essa característica se aplica a qualquer setor da economia, impulsionada pelos avanços das tecnologias, das ferramentas digitais e da internet de forma geral.

O consumidor moderno tem, na palma da mão, com seu smartphone, a possibilidade de pesquisar, comprar, pedir para entregar, devolver, questionar e reclamar. Toda empresa que vende produtos ou oferece serviços deve estar atenta a todo esse poder.

Diante de tantas opções, também é natural que a briga pela atenção desse consumidor esteja cada vez mais acirrada.

É nesse cenário competitivo que surge uma alternativa para os profissionais de medicina que querem disputar e vencer a luta pela atenção dos futuros pacientes. O marketing médico é a categoria da gestão que cuida da divulgação e do serviço de publicidade que os profissionais e empresas de medicina podem fazer.

Dentro do marketing médico estão uma série de estratégias e ações que profissionais e clínicas podem colocar em prática para alcançar dois grandes objetivos: atrair mais pacientes e manter uma imagem positiva da marca da clínica ou consultório. 

O marketing médico, assim como as estratégias empregadas por qualquer outro setor específico, tem suas particularidades. Algumas práticas funcionam melhor, o público prefere certo tipo de conteúdo e os médicos podem aproveitar melhor um ou outro canal de comunicação.

Por outro lado, o marketing médico tem uma particularidade muito específica que é sobre a regulamentação do que pode ou não ser utilizado como propaganda de médicos e consultórios. De acordo com leis próprias da área, alguns conteúdos são proibidos, especialmente pensando nas redes sociais.

Por causa dessas especificidades, vamos aprender mais agora sobre uma forma de atrair pacientes e executar o marketing médico corretamente – principalmente por meio de um site institucional. 

Veja a seguir por que é tão importante ter um site médico, como montar e otimizar o seu – e o que pode ou não pode ser publicado no site institucional para cumprir corretamente as normas.

O que diz a lei sobre marketing médico

Antes de mais nada, precisamos estabelecer o que é o marketing médico dentro da regulamentação do Conselho Federal de Medicina.

Médicos podem, sim, fazer propaganda e utilizar estratégias de marketing para divulgar seus serviços. Por outro lado, também existem regras rigorosas a seguir! Por isso, neste post, vamos exemplificar o que você pode ou não publicar em um site médico, tendo como ponto de partida as diretrizes do Conselho Federal de Medicina. 

Em caso de dúvida, confira nas resoluções CFM nº 1.974/2011 e CFM nº 2.126/2015 e descubra o que pode ou não pode pela lei.

É verdade também que a lei reconhece as mudanças impostas rapidamente pelas redes sociais. Por isso, ela já é considerada adequada para o cenário atual, em que tudo é postado rapidamente, ganha grandes proporções e gera dúvidas diante do Conselho de Medicina sobre o que pode ou não ser veiculado para divulgar serviços médicos. 

Alguns pontos são claramente colocados pela lei e impedem o marketing médico de abordar certas práticas da medicina, como uso e prescrição de remédios, e expor dados e fotos de pacientes – como as famosas fotos “antes e depois” de pacientes em tratamento. 

Por que ter um site é importante

Se você tem a impressão de que todo mundo ao seu redor passa a maior parte do tempo da internet, você pode estar certo. Caso perceba que cada vez mais estamos resolvendo todo tipo de tarefa, provavelmente está correto também.

Desde as tarefas mais simples, como a troca de mensagens, até a compra de produtos e contratação de serviços diversos, o brasileiro está cada vez mais conectado e resolvendo tudo na palma da mão com uma conexão com a internet. 

Só por isso, não ter um site pode ser um agravante que está te fazendo perder pacientes em potencial.

Mas por que um site é importante para médicos?

Você pode encontrar um médico na lista telefônica ou na sua agenda, mas é mais provável que você acesse a internet para encontrar seu próximo grande médico. É assim que o mundo funciona agora. E todo negócio de sucesso com presença digital expressiva e positiva começa com um site. Hoje, no mínimo, as informações sobre a clínica e as especializações de um médico, informações demográficas e de contato do profissional precisam ser encontradas online.

Os pacientes esperam que todos estejam online, incluindo médicos. Como profissional médico, depois de ter um site em funcionamento, você pode usá-lo como um centro de comunicação para todos os seus outros esforços de marketing: mídia social, marketing de conteúdo, artigos de pesquisa e muito mais.

A importância de um site para uma pequena empresa não pode ser exagerada. Veja agora então quatro razões pelas quais sua clínica médica precisa de um site.

1. Os clientes esperam encontrar sua clínica online

Quer você goste ou não, as pessoas hoje em dia esperam encontrar sua empresa online. Como médico, você administra uma empresa e, portanto, deve ter algum tipo de presença onde seu público está. Se você faz parte de uma comunidade médica, hospital ou grupo maior, provavelmente eles estão online de alguma forma. Mas não basta ter um site: ele precisa ter as informações corretas e poder ser encontrado pelos pacientes com rapidez e facilidade.

2. As primeiras impressões são vitais para o crescimento nos negócios

Se você está tentando impulsionar sua clínica médica, só pode fazer isso com mais pacientes. Encontrar pacientes nunca é fácil, mas quando você tem uma presença online estabelecida, fica mais fácil do que se você não estiver na internet. 

Dito isto, quando você tem uma presença online, é importante causar uma boa primeira impressão para obter e manter a atenção deles.

Os pacientes querem trabalhar com um médico que se preocupa e mostra compreensão de suas necessidades. Um site é uma ótima maneira de informar o mundo sobre sua experiência, seu compromisso com a saúde e muito mais. Trabalhar com um desenvolvedor de sites qualificado e um especialista em marketing digital faz toda a diferença quando se trata de contar sua história online.

3. Você pode compartilhar informações facilmente com seu público-alvo

Outro motivo para ter um site para sua clínica médica é que você pode compartilhar informações com todos os seus pacientes e potenciais pacientes. Por exemplo, se seu escritório estiver fechado para férias ou devido ao mau tempo, seu site poderá ser atualizado rapidamente para refletir essas alterações. É mais fácil do que explicar para centenas de pessoas por que você não estava no escritório na sexta-feira.

4. Crie relacionamentos e oportunidades

Uma das melhores maneiras de criar e construir relacionamentos com seus pacientes é mantê-los informados e fornecer educação a eles quando eles não estão no consultório.

Se você criar e gerenciar um site para sua clínica médica, poderá coletar e-mails e enviar informações a seus pacientes e pacientes em potencial sobre disponibilidade, horário de funcionamento, eventos futuros e muito mais.

Existem muitos benefícios em ter um site institucional, e seu site permite agregar valor à experiência de um paciente de maneiras importantes para seus resultados.

Blog institucional: oportunidade de divulgar conteúdo próprio

Em paralelo a um site institucional, outra possibilidade de realizar marketing médico e por meio de um blog.

Quem tem menos contato com conteúdo de blogs atualmente, pode achar o formato até mesmo um pouco antiquado. Mas os blogs sempre estão em alta!

Blogs existem desde os primórdios da internet, funcionando muitas vezes como diários virtuais. Hoje, porém, esse jogo já mudou e os blogs fazem mais sucesso quando aplicados ao marketing digital. 

Artigos em um blog médico podem orientar pacientes e tirar dúvidas importantes, sem ter o tom comercial que peças publicitárias geralmente têm. É por meio do chamado marketing de conteúdo que os blogs agem, atraindo o consumidor que busca por conteúdo em motores de busca, como o Google, e vem conhecer o que você está escrevendo. 

O trabalho executado em um blog, pelo marketing de conteúdo, tem como objetivo educar o seu público e, assim, fazer com que eles te conheçam, se interesse pelo que oferece e acabe marcando uma consulta.

O conteúdo deve ser relevante para o seu público-alvo, bem redigido e principalmente otimizado seguindo as práticas de SEO – Search Engine Optimization. O SEO é o conjunto de práticas que define o que vai aparecer nos primeiros resultados do Google, dando mais visibilidade para os sites e blogs que têm o melhor conteúdo sobre os temas que as pessoas buscam. 

O conteúdo vetado no marketing médico e no site

Agora vamos ao que a lei diz sobre conteúdos que não podem constar na divulgação dos serviços do médico.

Para começar, vale citar que as regulamentações do Conselho Federal de Medicina proíbem o uso de termos como “resultado garantido”, “o melhor”, “o mais eficaz” e outras expressões similares em qualquer peça de divulgação. Não se pode usar o marketing médico para garantir nenhum tipo de resultado em tratamentos e práticas médicas. 

O marketing médico, tanto em sites quando nas redes sociais, também não pode usar fotos de pacientes ou mostrar tratamentos, bem como imagens “antes e depois”.

Imagens dos pacientes não podem ser utilizadas nem mesmo com a autorização dos mesmos.

Também é importante que, ao citar qualificações médicas, elas devem ser todas reconhecidas pelo Conselho Federal de Medicina. O médico também pode fazer propaganda de títulos de especialista e expor seu registro do CRM, mas com ressalvas. Essa divulgação pode fazer menção a, no máximo, duas especialidades. 

O que pode ter no seu site médico

Agora vamos ao conteúdo que você pode publicar no seu site médico.

Como voce já deve ter entendido para que serve, de fato, o site do médico, consultório ou clínica, vamos te ajudar a preenchê-lo com o melhor conteúdo – e sem descuidar das regras do CFM.

Antes de mais nada, o site é um lugar para se apresentar. Até mesmo para abrir as portas para um possível relacionamento com pacientes, é necessário que o site médico conste suas informações de contato. Além disso, vale a pena descrever o médico ou equipe clínica responsável, respeitando as regras do Conselho Federal de Medicina e brevemente apresentando quem está por trás do serviço prestado. 

Também é importante dar o devido destaque aos serviços prestados. Afinal, o paciente que chegar até ali deve entender facilmente se suas necessidades serão atendidas pelo profissional ou clínica médica.

Até aqui, todo o conteúdo sugerido é básico, mas você pode ir muito além. 

Uma ótima ideia é investir em diferenciais para o site médico. Esses diferenciais devem oferecer valor real e uma boa experiência para os pacientes. Pensando nisso, pode ser um sistema de agendamento de consultas online ou um chat virtual para tirar dúvidas, por exemplo. 

Esse tipo de facilidade e de canal de comunicação aproxima o paciente do médico e pode trazer bons resultados na atração de clientes e na fidelização dos mesmos 

Estrutura do site médico – o que você precisa para começar

Agora vamos sair um pouco do que pode ou não publicar no site médico. Antes mesmo de pensar que será postado e divulgado, você precisa entender o que há de mais indispensável na estrutura do seu site institucional.

Vamos começar falando no objetivo do site. Um site realmente bem projetado e pronto para conversão deve ser uma das suas prioridades ao investir no marketing médico. 

Conversão, no marketing, indica uma interação que leva o consumidor – nesse caso, o paciente, a ficar mais próximo de fechar a compra – ou no caso do marketing médico, agendar uma consulta.

Diferentemente das redes sociais, onde o marketing médico tem mais limitações em razão das suas regras próprias, você pode fazer uso do site institucional para captar pacientes.

Por isso, focar em um site que favoreça a conversão do usuário deve ser uma tarefa primordial. E para começar a traçar esse caminho, então, é importante otimizar ao máximo esse canal para isso. Mas como fazer essa otimização? É o próximo passo que vamos abordar a seguir.

Otimização do site médico: dicas para converter mais pacientes

Como falamos acima, o site médico tem alguns objetivos, mas o grande foco para quem quer melhores resultados por meio desse canal deve ser aumentar as conversões para atrair pacientes.

Alcançar essa meta só será possível por meio de um bom trabalho de otimização, desde a criação do site ou ajustando sua estrutura pelo caminho.

Para facilitar e estimular as conversões no seu site, siga essas principais dicas:

Otimize todo o conteúdo para o mobile

Você sabia que em todo o Brasil já existe mais de um smartphone ativo para cada habitante?

Certamente você já reparou que todo mundo anda de olho nos seus smartphones onde quer que vá, mas os números são mais expressivos ainda do que sua simples impressão. O volume de celulares capazes de acessar o 4G cresceu 18% em 2019, informou a Telebrasil, associação que reúne operadoras de telecomunicação. Apenas em 2019, foram mais de 24 milhões de aparelhos capazes de acessar o 4G ativados.

Essa tendência de crescimento serve para apoiar um ponto importantíssimo para quem vai apostar em um site médico. O site precisa ser responsivo para funcionar no ambiente mobile.

O mobile, traduzido do inglês como móvel, é onde boa parte dos brasileiros está e acessa a internet na maior parte do tempo.

Por isso, todo o conteúdo e a estrutura do site devem ser lidos facilmente nas telas dos celulares dos brasileiros. Isso implica também na necessidade de apresentar um design responsivo, ou seja, um site preparado visualmente para ser usado tanto em dispositivos móveis como em computadores e tablets.

Pense sempre na experiência do cliente

A experiência do cliente deve ser sempre a mais positiva, passando por cada ponto da gestão médica até mesmo o site institucional.

Pense em uma navegação simples, com conteúdo de qualidade e páginas leves que não vão demorar demais para serem carregadas.

Uma experiência ruim em um site pode fazer com que o público desista de navegar por ele e, consequentemente, você perderá um paciente em potencial. 

Integre o site médico à todos os outros serviços

Chegando ao fim deste artigo, você deve ter entendido a importância do site médico e os frutos que pode colher quando desempenha um bom trabalho online.

Mesmo depois de tanto conteúdo, pode-se dizer que o trabalho de atrair mais pacientes e oferecer ótimas experiências a ele ainda não acabou.

Tudo o que você aprendeu e colocou em prática até aqui deve estar integrado a todas as outras estratégias de gestão do seu consultório ou clínica médica. O site precisa estar bem alinhado com a recepção, por exemplo, pois o contato iniciado no site pode virar uma ligação ou um atendimento via WhatsApp, chat online ou redes sociais. 

Além disso, o site deve transmitir a cara da sua clínica o que mais ela oferecer, anunciando também possíveis mudanças e novidades.

A lição final para levar, então, é que ter um site médico traz inúmeras vantagens, desde que se saiba usá-lo corretamente. Aproveite para criar o seu, usá-lo com responsabilidade e obter o melhor que o marketing médico pode fazer pelos seus negócios. 

E para complementar a busca por melhores resultados, continue lendo nossos conteúdos sobre gestão médica. É só clicar aqui e ler os artigos sobre tudo que você precisa saber para dominar a gestão na prática.