Conheça as 12 novidades da tecnologia médica

Conheça as 12 novidades da tecnologia médica

outubro 26, 2021 0 Por Editor

Os avanços em tecnologia médica estão melhorando a assistência ao paciente, aperfeiçoando técnicas, procedimentos e também rotinas já existentes. Entre recursos que ajudam a diagnosticar enfermidades antecipadamente e organizar dados de forma simples e prática, outros serviços inovadores também estão mudando a realidade dos consultórios e clínicas médicas.

Aliadas aos conhecimentos científicos, a tecnologia médica permite a implantação de serviços inovadores, alcançando áreas que antes eram desprovidas de profissionais qualificados, e auxiliando em diferentes atividades. A seguir, acompanhe as 12 novidades em tecnologia médica!

Por que apostar em tecnologia médica?

Com a tecnologia médica, agenda e livros com relatórios se transformam em dados informatizados, ágeis, seguros e sustentáveis em consultórios médicos. Atualmente, médicos e outros profissionais que atuam em instituições de saúde buscam inovação e também praticidade.

No lugar das antigas cadernetas e agendas para controlar os horários de consultas, secretárias e recepcionistas passaram a utilizar softwares desenvolvidos para a gestão médica, registrando compromissos e informações dos pacientes em banco de dados.

Dessa maneira, o profissional pode ter acesso remoto de onde estiver, além da possibilidade de compartilhamento com outras instituições e profissionais, facilitando exames, procedimentos e tratamentos. Ao estar alinhado com as novas tecnologias, o médico conta com uma interação informativa e completa com os pacientes.

Impactos da tecnologia médica nos consultórios

Devido ao grande acúmulo de tarefas ao longo do dia, o tempo se torna cada vez mais escasso. Por esse motivo, as inovações na tecnologia médica visa poupar tempo e esforços para a execução de diversas tarefas, assim como em outras áreas profissionais.

Avanços que contribuem com a rotina de atendimento aos pacientes e também no diagnóstico e tratamento contribuem para aumentar a qualidade dos serviços prestados, assim como na agilidade dos atendimentos.

Com a ajuda de diversas ferramentas tecnológicas, é possível acessar o prontuário e histórico do paciente, monitorar a evolução de sua doença, realizar laudos à distância, organizar a agenda de atendimentos, realizar consultas à distância e até mesmo executar o controle financeiro de todo o consultório por meio de um software. Tudo isso contribui para a otimização de tempo do profissional, diminuição de custos, melhora na qualidade do atendimento e aumento da segurança.

12 novidades em tecnologia médica para mudar seu consultório

O avanço tecnológico é inevitável e se tornou essencial para todas as pessoas, não diferindo para médicos e profissionais que atuam no setor da saúde. Por meio dele, é possível identificar patologias ainda em estágios iniciais, contribuindo para o tratamento eficaz e prevendo complicações antes que aconteçam. Dessa maneira pode-se garantir maior qualidade de vida e bem-estar às pessoas.

Além disso, uma das consequências diretas do progresso que envolve o uso da tecnologia na medicina no futuro é a possibilidade de acolhimento e tratamento individualizado e humanizado, melhorando os laços entre profissional e paciente. A seguir, conheça 12 novidades em tecnologia médica para mudar seu consultório.

1. Integração dos dados clínicos

Poucos anos atrás, ainda era comum a prática de preencher diferentes formulários para garantir um atendimento adequado. Com essa necessidade, muito tempo era destinado à ação, deixando um curto período para que o médico pudesse preencher queixas e alterações do paciente.

Com a introdução de ferramentas como o prontuário eletrônico, os profissionais puderam integrar todas as informações clínicas, formulando hipóteses diagnósticas com maior embasamento. Afinal, essas ferramentas armazenam consultas e condutas terapêuticas virtualmente, assim como exames e laudos, facilitando de maneira significativa a assistência ao paciente.

2. Uso de dispositivo clínico portátil

Para pacientes que sofrem com doenças crônicas e necessitam de avaliação constante do estado de saúde, além de precisarem de mudanças nas intervenções e antecipação de prognóstico eficiente e objetivo, a tecnologia médica contribui de forma ampla.

Com o uso de dispositivos portáteis, responsáveis pela avaliação de níveis de glicemia, pressão arterial, níveis de substâncias tóxicas no sangue, entre outras, é possível que as avaliações sejam feitas de forma minimamente invasiva, enviando informações para médicos em tempo real. 

Ferramentas como essa permitem que o paciente tenha maior autonomia, além de facilitar a intervenção precoce em casos de anomalias laboratoriais constatadas, evitando a evolução de um quadro grave.

3. Tecnologia médica para laudos à distância

Atualmente, outra importante ferramenta da tecnologia médica é o envio de imagens radiológicas para centros de diagnóstico. Essa emissão de laudos à distância tem sido mais utilizada durante o período de pandemia causada pela Covid-19.

Pequenos e grandes consultórios utilizam essa tecnologia, em que médicos realizam exames de imagem em pacientes e enviam os dados clínicos para um especialista em radiologia em instituições terceirizadas para a elaboração do laudo.

Na emissão de laudos à distância, os exames podem ser feitos em qualquer lugar do Brasil e laudados por profissionais que também estejam em qualquer localização. Isso é possível por meio dos softwares online acessados via internet por computadores, tablets ou mesmo smartphones. 

Essa atividade apresenta benefícios como a rapidez na entrega dos resultados, melhorando a antecipação de intervenções terapêuticas necessárias, redução de custos operacionais e aumento na qualidade da avaliação dos exames.

4. Tecnologia médica para a telemedicina

De forma ampla, a telemedicina constitui no uso de tecnologias da informação e comunicação na área da saúde como uma forma de possibilitar a oferta dos serviços relacionados aos cuidados em saúde. 

Conhecida também como telessaúde, a telemedicina é responsável por oferecer suporte diagnóstico de maneira remota, permitindo que exames e laudos médicos sejam interpretados e emitidos também à distância. 

Atualmente, a telemedicina é uma prática ampla, com sistemas e tecnologia associada na promoção de melhores condições e processos do sistema de saúde. Podemos dividir a telemedicina em 3 áreas: emissão de laudos à distância, teleassistência e teleducação. 

Teleassistência

A teleassistência é a forma de monitorar o paciente em âmbito hospitalar ou mesmo em sua própria residência, de maneira remota. O profissional responsável por atendê-lo pode realizar a troca de informações com outros especialistas da área, assim como dados, exames e informações relacionadas a procedimentos por plataformas online. 

Teleducação

Já a teleducação é a área responsável em capacitar os profissionais da área da saúde para atuarem em locais que tenham pouca infraestrutura e dificuldades de acesso.

Dessa maneira, é possível mantê-los atualizados em relação aos conhecimentos da área médica e saúde em geral. 

5. Prontuário eletrônico

Outra novidade em tecnologia médica, o prontuário médico eletrônico, também chamado PEP (Prontuário Eletrônico do Paciente), é um documento digital que armazena todos os registros médicos de uma pessoa ao longo da vida.

A capacidade do prontuário é de reunir, em um único local, informações que vão desde o nascimento até o óbito de um paciente.

O uso desse tipo de documento já faz parte da realidade em grandes centros, com seu uso permitido e regulamentado pelo Conselho Federal de Medicina (CFM). Uma das exigências do CFM é a disponibilização desses dados quando solicitados pela própria pessoa ou por seu representante legal.

O prontuário eletrônico surgiu como alternativa aos prontuários antigos feitos em papel. O modelo tradicional, totalmente manual, dificulta a possibilidade de acompanhamento, além do risco de sofrer danos físicos, como apagar, rasgar, queimar ou molhar os documentos, o que compromete dados importantes dos pacientes. 

Além de todos esses riscos, refazer a atualização a cada consulta muitas vezes acaba causando a omissão ou incompletude de informações que poderiam ser úteis no futuro do paciente na hora de receber diagnósticos, pedidos de exames ou até em evitar reações alérgicas do paciente.

Diante disso, e com as possibilidades trazidas pelas ferramentas digitais, surgiu a possibilidade de centralizar todo o prontuário em um meio eletrônico. O que aconteceu, na prática, foi o mesmo processo de modernização enfrentado até mesmo pelas receitas médicas digitais.

Hoje, é possível prescrever e obter tratamentos utilizando a tecnologia, que facilita para o paciente, otimiza o trabalho das farmácias e oferece vantagens também para os médicos e consultórios. Com o prontuário, não é diferente.

6. Automação de e-mails

A comunicação é cada vez mais importante na relação entre médico e paciente, e a tecnologia médica tem contribuído para muito para que ela melhore. Atualmente, consultórios e clínicas médicas têm utilizado mais e-mails para enviar lembretes, novidades e informações para seus pacientes, tornando obsoleto o envio de cartas e a realização de telefonemas.

Outro recurso que faz grande diferença nessa comunicação é o envio de SMS e mensagens por meio de aplicativos como o WhatsApp. Essas ferramentas são muito úteis para lembrar pacientes de horários, confirmar consultas e envio de exames. Por esse motivo, são integrados com softwares de gestão, onde podem ser programados para um envio automatizado.

7. Home Care

Os cuidados continuados em casa fazem parte da tecnologia médica avançada. Essa possibilidade permite que os tratamentos sejam realizados com o paciente em suas residências por meio de dispositivos eletrônicos.

O monitoramento de dados, feito com dispositivos clínicos portáteis, é realizado à distância e orienta o médico sobre a evolução do paciente, ajudando nas condutas que serão realizadas no tratamento à domicílio.

8. Internet das Coisas (IoT)

tecnologia médica

A Internet das Coisas, do inglês Internet of Things (IoT), também é uma realidade para a medicina no futuro. Isso porque, a Internet das Coisas possibilita a interação de muitos dispositivos médicos na rede de comunicação para troca e coleta de informações.

Os aplicativos móveis, por exemplo, podem ser conectados em outros dispositivos para obter dados sobre o corpo, como os smartwatches (relógios inteligentes). 

As soluções da Internet das Coisas também são aplicadas na telemedicina, como forma de conectar aparelhos analógicos às plataformas, enviando assim exames de forma direta, sem a necessidade da digitalização ou uploads manuais. 

Da mesma forma, a Internet das Coisas pode ser usada em equipamentos, como o bisturi que permite aos cirurgiões a busca de tecidos comprometidos enquanto realizam o procedimento cirúrgico, auxiliando na retirada precisa de um tumor, por exemplo. 

Com este tipo de material, o tecido pode ser cauterizado durante a cirurgia, e a fumaça emitida é coletada e enviada para um espectrômetro, responsável pela realização da análise química. A partir da composição da fumaça, o aparelho pode apontar, em segundos, se o tecido é saudável ou canceroso.

9. Inteligência artificial

Realidade que também será parte da medicina no futuro, a Inteligência Artificial é um segmento da ciência da computação que desenvolve dispositivos e estruturas capazes de simular características humanas. 

Os protótipos relacionados a Inteligência Artificial são capazes de executar algumas funções cognitivas como mensuração, execução, tomada de decisões e resolução de problemas, tudo realizado por redes neurais artificiais para o aprendizado de máquinas. 

Atualmente, computadores conseguem armazenar e processar um enorme repertório de dados. Com o desenvolvimento da Inteligência Artificial, também se tornam habilitados para aprender continuamente a partir de informações analisadas, cruzando dados e determinando as melhores respostas para cada caso.

Em exames transmitidos via telemedicina, por exemplo, é possível utilizar o aprendizado das máquinas para realizar a triagem, colocando urgências no início da fila de análise e, com a leitura de outros exames, o computador pode auxiliar a emissão de laudos que sejam ainda mais precisos.

Esse tipo de sistema de Inteligência Artificial é uma ferramenta muito utilizada como solução no reconhecimento visual para a filtragem de exames com possibilidades de diagnósticos críticos. 

Outros tipos de algoritmos desenvolvidos pela Inteligência Artificial podem ajudar em diferentes tratamentos, como do câncer, utilizando tecnologia cognitiva e baseando-se em evidências da literatura e dados clínicos e genéticos do paciente, permitindo a indicação dos tratamentos possíveis.

Sem indicar o mais adequado, o computador oferece ao médico especialista os tratamentos oncológicos mais apropriados, baseando-se em evidências científicas que incluem grau de risco e efeitos colaterais. Dessa maneira, pode-se perceber que a Inteligência Artificial não realiza a tomada de decisão, mas sim oferece embasamento para que o médico possa escolher a melhor conduta.

10. Reconhecimento facial

A tecnologia do reconhecimento facial é utilizada em ambientes públicos com alta circulação de pessoas, garantindo a segurança de todos. Esse recurso é capaz de identificar o rosto de muitas pessoas em um curto período de tempo. Por isso, a ferramenta vem sendo parte da tecnologia médica, e implementada na área para auxiliar na identificação de doenças atípicas. 

No futuro, acredita-se que o reconhecimento facial poderá ajudar no diagnóstico de síndromes raras, motivo que torna a ferramenta ainda mais importante na área da saúde. Com o uso deste mecanismo, é possível oferecer mais segurança aos pacientes, auxiliando também a evitar fraudes em clínicas e consultórios.

11. Software de gestão de clínica médica

O software de gestão de clínicas médicas é um recurso tecnológico que ajuda a digitalizar e a automatizar diversas tarefas e processos do negócio. Em linhas gerais, trata-se de uma plataforma que contém diversas funcionalidades desenvolvidas especificamente para tornar a gestão e a rotina de uma clínica mais ágeis, produtivas, qualificadas e otimizadas. 

Isso inclui módulos de gestão, financeiro, atendimento ao paciente, estoque, planejamento, entre outros que podem ser customizados de acordo com a necessidade do negócio.

Ainda, esse tipo de sistema é utilizado para registrar, centralizar, organizar e consolidar todos os dados necessários para a correta operação da clínica, facilitando a localização, o acesso e o uso estratégico de tais informações. 

Em outras palavras, o software de gestão de clínicas médicas abrange todas as áreas administrativas de uma clínica (de qualquer porte), ajudando o front-office e o back-office a concluírem suas tarefas com maior eficiência, agilidade, segurança e transparência.

E tudo isso, naturalmente, impacta positivamente na experiência e na satisfação do paciente, na motivação da equipe e nos resultados financeiros obtidos pela clínica médica.

12. Software de controle financeiro

O software de controle financeiro é uma das melhores novidades em tecnologia médica dos últimos anos. Essa ferramenta ganhou cursos e extensões, e exige dedicação para o uso adequado. Mesmo que o médico não tenha uma clínica ou consultório próprio, é importante ter conhecimentos sobre finanças para gerir sua vida profissional e pessoal. 

Ainda que entender a gestão financeira possa ser um processo desafiador, a tecnologia oferece grande facilidade. Afinal, alguns sistemas de controle de gestão financeira permitem registros de todas as movimentações financeiras do profissional, oferecendo relatórios automáticos sobre isso.

Além dos avanços voltados para diagnósticos, tratamentos e procedimentos, a tecnologia médica trouxe inovações importantes para ajudar no dia a dia do consultório médico, otimizando o tempo, melhorando a qualidade do atendimento e diminuindo custos. Por isso, mantenha-se sempre atualizado sobre estes assuntos. 

Quer continuar acompanhando informações sobre gestão médica? Então, confira mais artigos no blog da Medicine Cursos!